Busca
Agronegócio Empreendedorismo

Freelancer: o Guia Completo para você trabalhar como um

A imagem mostra a palavra "freelance" escrita sob um fundo branco marmorizado.

O que você precisa saber:

  • Trabalhar como freelancer é uma boa maneira de fazer uma renda extra ou voltar ao mercado de trabalho; 

  • Existem diversas atividades que freelancers podem fazer, desde escrita até contabilidade; 

  • Como todo emprego, trabalhar como freelancer tem vantagens e desvantagens. 

Com a pandemia, as pessoas passaram a procurar outras formas de trabalho e isso fez com que o número de freelancers no Brasil aumentasse. 

Ser freelancer – ou, como popularmente é chamado, ser “frila” – é uma ótima maneira de conseguir uma renda extra e, para algumas pessoas, é até mesmo uma maneira de voltar ao mercado de trabalho e ter um emprego. 

Nesse artigo, nós do Programa Avançar vamos te contar mais sobre o que é ser freelancer e como você pode começar a trabalhar como um. 

Leia agora! 

O que é o trabalho de freelancer? 

Freelancer é o profissional independente que não tem vínculo empregatício com uma empresa e trabalha em projetos de curto prazo, ou seja, em trabalhos pontuais. 

Esses profissionais podem trabalhar para diversos clientes, como empresas ou pessoas físicas, ao mesmo tempo e tem total controle sobre seus horários de trabalho e projetos em que deseja atuar. 

Quais são os trabalhos que um freelancer pode fazer? 

Existem diversos tipos de trabalho que um freelancer pode fazer, já que eles dependem da especialização do profissional e do mercado em que ele atua. 

Entre as atividades em que um freelancer pode trabalhar estão: 

  • Redação; 

  • Revisão; 

  • Design gráfico; 

  • Programação; 

  • Tradução; 

  • Social media; 

  • Contabilidade; 

  • Arquitetura e design de interiores; 

  • Edição de vídeos; 

  • Aulas particulares; 

  • Fotografia; 

  • Marketing digital. 

Qual é o salário de um freelancer? 

O salário de um freelancer é variável. Isso porque tudo irá depender do mercado onde esse profissional atua, de sua precificação e da quantidade de trabalhos que são feitos no mês. 

Ou seja, não é possível quantificar exatamente o salário médio de um freelancer no Brasil.

Como precificar sendo freelancer? 

Existem duas maneiras de fazer a precificação de um serviço quando se é freelancer: por hora e por projeto. Em ambas, é preciso considerar alguns fatores antes de estabelecer um preço. Vamos falar sobre isso agora. 

Precificação por projeto 

A precificação por projeto é quando você estabelece uma tabela de preços que são cobradas de acordo com os trabalhos que você faz. 

Por exemplo, um redator pode criar uma tabela de preços para cobrar por texto escrito dessa maneira: R$50 para textos de até 800 palavras, R$75 para textos de mil palavras e R$100 para textos de até duas mil palavras. 

Assim, você não precisa recalcular os preços a serem cobrados toda vez que começar um novo trabalho. 

Precificação por hora 

Já a precificação por hora é, como o próprio nome diz, quando você cobra um valor por cada hora trabalhada. Então, ao iniciar um projeto, você irá fazer uma estimativa do tempo que levará para finalizá-lo e multiplicará isso pelo seu valor por hora. 

Digamos que um design de interiores foi contratado para fazer o projeto de decoração de uma sala em uma residência. Sua hora de trabalho é R$10,70 e ele estimou que irá gastar cerca de 20 horas para completar esse projeto. 

Então, basta usar a fórmula: 

Valor a ser cobrado = Valor da hora x Horas Trabalhadas 

Valor a ser cobrado = 10,70 x 20 

Valor a ser cobrado = 214 

Ou seja, esse profissional irá cobrar R$214 pelo projeto. 

O que considerar na hora de cobrar um trabalho como freelancer? 

Seja cobrando por hora ou criando uma tabela de preços, é preciso saber fazer a precificação de maneira correta, já que esse dinheiro irá representar o seu faturamento do mês, interferindo diretamente no quanto você irá lucrar com seu trabalho. 

Então, antes de estabelecer os preços que você irá cobrar, você precisa considerar alguns fatores: custos do trabalho, complexidade e média de valor do mercado. 

Custos do trabalho 

São os custos que você tem para fazer o trabalho pelo qual você foi contratado. Nele, se incluem os custos do local de trabalho, custos de deslocamento, de alimentação – ou seja, tudo o que está relacionado ao seu trabalho como freelancer. 

Entre os custos que você terá que considerar aqui, estão: 

  • Contas de energia, água e internet; 

  • Ferramentas de trabalho que você utiliza; 

  • Materiais de escritório; 

  • Custos de alimentação durante o horário de trabalho; 

  • Custos com deslocamento; 

  • Taxas e impostos. 

Complexidade do trabalho 

Demandas mais difíceis exigem mais trabalho, enquanto demandas mais simples exigem menos tempo de trabalho. Essa regra deve ser levada em conta na hora de precificar um serviço prestado por você. 

Aqui, além da complexidade do trabalho, você também pode considerar o seu nível de especialização na área: quanto mais estudos e mais experiência você tiver, mais o seu preço vai ficar maior. 

Valor no mercado

Trabalhar como freelancer é ter que lidar com a concorrência, afinal, estamos falando de um mercado com diversos profissionais competindo diretamente com você. Por isso, se você cobrar muito acima da média que o mercado cobra, é possível que você não seja contratado para projetos. 

Pesquise o valor médio cobrado por outros freelancers para fazer as mesmas atividades que você faz e o valor oferecido por empresas. Essa pesquisa, além de te ajudar na precificação, pode te ajudar na hora de decidir trocar o seu trabalho CLT por um de freelancer. 

Quais são as vantagens e desvantagens de ser freelancer? 

Como todo regime de trabalho, ser freelancer tem suas vantagens e desvantagens que devem ser levadas em conta na hora de escolher por esse tipo de profissão. 

Entre as vantagens de ser freelancer, se destacam: 

  • Ser seu próprio chefe; 

  • Flexibilidade de horários; 

  • Chance de escolher com quais clientes quer trabalhar; 

  • Poder escolher os projetos com os quais você tem afinidade; 

  • Possibilidade de trabalhar em vários projetos; 

  • Poder trabalhar de onde você quiser; 

  • Possibilidade de altos rendimentos. 

Porém, é preciso considerar as desvantagens desse tipo de trabalho, como: 

  • Não ter direito a férias, décimo terceiro e outros benefícios de trabalhadores CLT; 

  • Necessidade de disciplina e organização; 

  • Ritmo de trabalho e rendimentos instáveis; 

  • Isolamento social; 

  • Necessidade de fazer a própria gestão e impostos. 

Curso Gratuito de Fluxo de Caixa com Certificado - Programa Avançar

Qual a diferença entre autônomo e freelancer?

Trabalhadores autônomos são aqueles que trabalham por conta própria e são responsáveis por gerenciar seu próprio negócio, cuidando desde a parte financeira até a gestão dos clientes. 

Por isso, todo freelancer é um trabalhador autônomo, já que trabalham por conta própria. Mas, nem todos os autônomos são freelancers pois muitos trabalhadores autônomos trabalham em projetos pontuais e de curto prazo como é o caso de freelancers. 

Como se formalizar como freelancer? 

Trabalhadores freelancers podem se formalizar e, assim, garantir direitos como aposentadoria e auxílio-doença, além de emitir notas fiscais e trabalhar de maneira legal. 

Para isso, é possível se tornar um microempreendedor individual (MEI). O MEI é um tipo de empresa criado pelo Governo Federal que conta com um sistema de impostos facilitado. Com ele, você tem um CNPJ e passa a trabalhar de maneira legalizada. 

Para ser MEI, é preciso faturar até R$81 mil por ano, não ser sócio de outra empresa e trabalhar com uma das atividades permitidas. Quem é MEI pode contratar até um funcionário registrado em carteira e tem outros benefícios, como poder abrir uma conta PJ e conseguir microcrédito em bancos. 

Quem é CLT pode se tornar freelancer? 

Sim! Quem é CLT e quer ter uma renda extra pode começar a trabalhar como freelancer também. 

Como se tornar um freelancer? 

Agora que você já sabe tudo sobre o que é um freelancer, é hora de saber como você pode começar a trabalhar como freelancer. 

  1. Crie um portfólio 

Se você quer começar a trabalhar em uma área, você precisa mostrar que sabe como fazer isso. O portfólio de um freelancer é como o seu currículo: nele, o contratante pode saber mais sobre o seu trabalho e saber quem está contratando. 

Por isso, o primeiro passo para começar a trabalhar como freelancer é organizar um portfólio. Vale incluir trabalhos que você já fez antes ou até mesmo criar projetos para colocar nele. 

  1. Divulgue seu trabalho 

Use as redes sociais para anunciar que você está trabalhando como freela, avise conhecidos, colegas de trabalho, parentes e faça divulgação local e virtual. Só deixa maneira as pessoas saberão que tem um freelancer disponível para ser contratado. 

Esse é o networking, algo muito importante quando se trabalha como freelancer, já que, geralmente, as pessoas e empresas costumam contratar profissionais que foram indicados para elas. 

  1. Busque oportunidades online 

Existem sites especializados em conectar freelancers e empresas contratantes. Por isso, não deixe a internet de lado na hora de buscar trabalhos como freelancer. 

Além desses sites, sempre existem pessoas procurando frilas para projetos em redes como LinkedIn e Facebook, então, fique de olho nessas redes sociais. 

  1. Cumpra prazos e faça um trabalho de qualidade 

Entregar um trabalho bem-feito, com muita qualidade, é fundamental para que seu networking aumente e você seja indicado para outros trabalhos. Então, fazer um trabalho ótimo e entregue dentro dos prazos combinados é uma das maneiras de conseguir clientes como freelancer. 

Sabia que cuidar as finanças é fundamental para que um freelancer consiga fazer seu trabalho sem ter prejuízos financeiros? Comece nosso curso de educação financeira agora mesmo para aprender a cuidar do dinheiro que você vai ganhar sendo freelancer! 

Saiba mais sobre o Programa Avançar

Com foco no desenvolvimento do empreendedor, trazemos uma série de conteúdos que auxiliam na gestão do seu negócio. Além de vídeos, podcasts e ebooks atualizados com as novidades do mercado, o Avançar oferece uma série de cursos com foco no empreendedor, entre eles: Curso de Educação Financeira, Curso de Crédito e Curso para MEI.  

Comece agora mesmo seu curso gratuitamente e ganhe um certificado digital. Cadastre-se!

Como abrir sua Conta MEI Santander

Simples, digital e precisa de apenas 3 documentos: 

• Documento de identidade (RG ou CNH) 

• Número de CPF 

• Certificado de MEI 

>> Abra a sua conta MEI << 

Post ID: | Current Page ID: 5780

Continue lendo

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência de navegação, memorizar suas preferências e personalizar o conteúdo publicitário de acordo com seus interesses. Veja mais detalhes em nossa Política de Privacidade.