Busca
Agronegócio Prospera

Como começar a cuidar das finanças do meu negócio?

Mulher fazendo contas.

O que você precisa saber: 

  • Cuidar das finanças do seu negócio é um dos passos principais para ele ser bem-sucedido; 

  • Uma das ferramentas mais importantes para cuidar das finanças é o fluxo de caixa, um controle de todo dinheiro que entra e sai do seu negócio; 

  • Registrar todos os seus custos e saber a diferença entre faturamento e lucro também é fundamental. 

Se você quer ter um negócio de sucesso, o primeiro passo é cuidar bem das suas finanças: elas são um dos fatores fundamentais para o funcionamento de qualquer empreendimento. 

Com um bom controle das finanças, você consegue comprar mais produtos ou matéria prima, pagar as contas e fornecedores sempre em dia, contratar pessoas para te ajudar, investir no crescimento do seu negócio e ainda ter mais lucro no fim do mês. 

Sendo assim, ter um controle financeiro é importantíssimo. Se você quer começar a cuidar das finanças do seu negócio, nós do Prospera estamos aqui para te ajudar: nesse artigo, vamos te mostrar os passos fundamentais para isso. 

Leia agora! 

Por onde começar a cuidar das finanças do meu negócio? 

O primeiro passo para cuidar das finanças do seu negócio é anotar todo valor que entra e sai da sua empresa. Esse é o fluxo de caixa, uma ferramenta muito útil para o dia a dia e para o controle financeiro. 

Depois, é preciso tomar mais alguns cuidados em seu dia a dia. Vamos falar sobre todos eles agora: 

  1. Registre tudo o que entra e sai do seu caixa 

Seja no computador ou em um caderno, ter um registro do que entra e sai do caixa é uma maneira de saber para onde seu dinheiro está indo e de onde ele está vindo, quem está te devendo, quem você ainda precisa pagar e tudo mais o que é necessário para evitar prejuízos financeiros. Como falamos anteriormente, esse é o fluxo de caixa, uma ferramenta indispensável em qualquer negócio. 

E não é difícil criar um fluxo simples: em um caderno, faça uma coluna para as entradas de dinheiro e outra para as saídas. Deixe um local para registrar a data e o motivo da movimentação do dinheiro — por exemplo, se ele foi usado para pagar um fornecedor ou se entrou no seu caixa por causa de um acerto de uma venda fiado. No fim do dia, faça as contas, veja quanto tem em seu fluxo de caixa e compare com o seu caixa. Se os valores estiverem batendo, basta finalizar o dia; se não, é necessário refazer as contas e procurar onde está o erro. 

Uma dica importante para o fluxo de caixa: nunca se esqueça de anotar os valores, por menores que eles sejam. No fim do dia, eles influenciam nas suas finanças e, se não registrados, podem te causar prejuízos financeiros. 

  1. Separe as finanças pessoais das finanças do seu negócio 

Esse é um erro muito comum cometido por empreendedores: utilizar a mesma conta para o dinheiro pessoal e para as finanças do negócio. Apesar de parecer algo simples e feito por todos, não separar as finanças pessoais das finanças do negócio pode fazer você ir à falência: não é possível saber qual dinheiro é do que, o dinheiro usado para pagar as contas da empresa passam ser usados para pagar coisas pessoais e, quando menos se espera, se está afundado em dívidas pessoais e empresariais. 

Por isso, o segundo passo para cuidar das finanças é separar as que são pessoais das empresariais. A melhor maneira de fazer isso é tendo duas contas bancárias: a conta de pessoa física e a de pessoa jurídica (conta PJ), ou seja, do negócio. Porém, esse tipo de conta só pode ser aberto se você tiver um CNPJ.  

Enquanto você não tem um, basta ter duas contas e saber qual é a da sua empresa, onde será depositados os faturamentos dela e de onde você irá tirar dinheiro para pagar suas contas, e sua conta pessoal, que é referente aos seus gastos pessoais e familiares. 

Microcrédito Prospera Santander

  1. Saiba diferenciar seu lucro do seu faturamento 

Você sabia que lucro e faturamento são duas coisas totalmente diferentes e que isso influencia nas finanças do seu negócio, podendo até mesmo causar desequilíbrio nelas? 

Faturamento é tudo o que você recebe de pagamento pelas vendas que você faz.  Já o lucro é o que sobra do faturamento depois que você paga as contas do seu negócio, como despesas com água e luz, custos de produção e pagamento de fornecedores. Ou seja, o lucro é o resultado da seguinte conta: 

Faturamento – Custos = Lucro 

Por isso, quanto menos custos e mais faturamento você tiver, mais lucro você terá em seu negócio. Vamos falar isso no próximo tópico. 

  1. Saiba quais são os custos do seu negócio 

Se você não sabe quais são seus custos, como saberá qual é seu lucro no fim do mês? Por isso, saber quais são os custos do seu negócio e tê-los anotados é tão importante quanto diferenciar o faturamento do lucro. 

Os custos se dividem em dois tipos: 

  • Custos fixos, que são os gastos que acontecem todos os meses, como aluguel, contas de água e de luz e internet. Mesmo com valores que podem variar de um mês para o outro, esses custos são fixos pois acontecem todo mês. 

  • Custos variáveis são os gastos que mudam de acordo com a produção e as vendas, podendo até mesmo serem deixados de lado em um mês e voltarem a existir algum tempo depois. Compra de ingredientes ou de matéria prima para produzir seus produtos e custos com transporte são exemplos de custos variáveis. 

Ter um registro dos custos ajuda não apenas no cuidado com as finanças, mas também é uma maneira de descobrir quais podem ser cortados ou diminuídos para aumentar seu lucro sem perder a qualidade do que você oferece. 

  1. Saiba colocar os preços certos nos seus produtos e serviços 

Definir preços — ou seja, fazer a precificação dos seus produtos e serviços — é um dos conhecimentos mais importantes que você precisa ter. Isso porque os preços interferem diretamente no funcionamento do seu negócio: é com o dinheiro recebido por causa desses preços que você vai pagar seus custos, saber qual é seu faturamento e definir qual lucro que você vai ter. 

Para calcular os preços do que você vai vender, é preciso saber quais são seus custos variáveis e os fixos. Com esses custos, você pode usar a seguinte fórmula: 

Custos/Quantidade de produtos feitos = Custo unitário 

Com a informação do custo unitário em mãos, você pode definir o quanto de lucro que quer ter com a venda de cada produto. E então, basta utilizar a seguinte fórmula para definir os preços dos seus produtos: 

Custo unitário + Lucro desejado = Preço 

Existe uma série de fatores que deve se considerar na hora de precificar seu produto ou serviço, como a recepção do público. Falamos mais sobre eles em nosso artigo sobre como calcular o preço ideal para produtos e serviços.  

  1. Crie uma reserva financeira 

Reserva financeira é o nome dado à nossa popular poupança. Se tratando de um negócio, ela é fundamental para gastos de emergência, reformas, expansões e até mesmo para pagar as contas em um mês que o faturamento não foi muito bom. 

E não é preciso muito para criar essa reserva: começar guardando R$20 reais por mês na conta do seu negócio é uma maneira de fazer a reserva e de criar o hábito de guardar um pouco do faturamento. Com o passar do tempo, esse valor pode aumentar de acordo com o seu faturamento. O importante é começar! — e não se esquecer de registrar isso no seu fluxo de caixa. 

Agora que você sabe quais são os primeiros passos para cuidar das finanças do seu negócio, que tal ver nossas dicas para não se endividar no cartão de crédito e, assim, cuidar das suas finanças pessoais? 

Post ID: | Current Page ID: 5652

Continue lendo

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência de navegação, memorizar suas preferências e personalizar o conteúdo publicitário de acordo com seus interesses. Veja mais detalhes em nossa Política de Privacidade.