Busca
Agronegócio Gestão Financeira

Reserva de emergência: O que é, como calcular e onde guardar

Mesmo que as suas finanças estejam em dia, é importante se preparar para possíveis imprevistos. Pensando nisso, ter uma reserva de emergência é garantia de estabilidade e segurança a longo prazo. 

Você sabe, no entanto, qual é o melhor valor para uma reserva de emergência? Assim como esta, diversas outras dúvidas podem surgir sobre o tema. Por isso, se a ideia é proporcionar uma boa organização para a sua vida financeira, fique atento às explicações abaixo.  

O que é uma reserva de emergência?  

A reserva de emergência é uma poupança para situações urgentes, como uma demissão, um gasto extra ou até mesmo quando o seu negócio não estiver indo tão bem quanto o esperado. Nesses casos, ela evita que você se desorganize financeiramente e acumule dívidas.  

Na teoria, todas as pessoas deveriam ter uma reserva de emergência. Porém, a realidade é bem diferente do ideal. De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), 32% das famílias brasileiras com renda de até 10 salários mínimos fecharam o ano de 2022 com dívidas atrasadas por mais de 90 dias.  

Já para quem tem renda superior a 10 salários mínimos, o atraso atingiu em torno de 13% durante o período. Para fugir desta estatística, é fundamental obter um planejamento financeiro que priorize tranquilidade para possíveis imprevistos, independentemente de qual seja a sua forma de trabalho. 

Qual o valor recomendado para a reserva de emergência?  

No geral, o valor varia conforme as despesas de cada um. O recomendado é que o cálculo leve em consideração seis meses de estabilidade. Em outras palavras, caso haja algum imprevisto, sua reserva de emergência deve ser suficiente para suprir seus gastos durante este período. 

Para começar, some todos os seus gastos, como alimentação, moradia, transporte e saúde. Depois, basta multiplicar o valor obtido pelo número de meses que você deseja se manter com a reserva.  

Vamos a um exemplo prático: você tem despesas fixas de R$ 4 mil por mês. Levando em consideração os seis meses recomendados, sua reserva de emergência deve ser de R$ 24 mil.  

Onde guardar sua reserva de emergência?  

Para uma boa experiência a longo prazo, o melhor é optar por investimentos de baixo risco que possibilitem que o dinheiro seja retirado a qualquer momento. Nesse caso, os produtos de liquidez diária são ótimas soluções, como CDB e tesouro direto

De qualquer forma, o Santander conta com a API (Análise de Perfil do Investidor), que tem como objetivo identificar suas necessidades e recomendar as melhores decisões de investimentos para você de forma personalizada. Saiba mais aqui!  

Quando usar a reserva de emergência? 

Por mais que seja tentador ver “dinheiro sobrando”, é importante ressaltar que a reserva de emergência, assim como o nome sugere, só deve ser usada em situações urgentes e inesperadas. 

Isso significa que gastos previsíveis, como os impostos, não devem ser incluídos nesta categoria.  

4 dicas para que sua reserva de emergência dê certo 

1 – Adquira conhecimento financeiro 

Se você tem dificuldade em lidar com o seu dinheiro na prática e acaba não poupando o necessário por este motivo, é interessante buscar mais conhecimento sobre o assunto. Para te ajudar neste processo, aqui no Programa Avançar, temos um curso online gratuito sobre Educação Financeira. Vale a pena conferir.  

2 – Capriche no planejamento 

A organização é um dos fatores mais importantes para o sucesso de uma reserva de emergência. Por isso, comece calculando seus gastos (incluindo impostos esporádicos), defina quanto poupar para chegar ao seu objetivo e faça sempre a gestão de suas finanças.  

3 – Tenha foco e paciência 

Se você decidiu criar sua reserva de emergência há pouco tempo, pode ser que demore alguns meses para alcançar a meta de valor definida inicialmente. Nesse caso, não desanime: junte aos poucos e não perca o foco. 

4 – Corte gastos desnecessários 

Para chegar mais rápido à sua reserva de emergência ideal e conseguir mantê-la a longo prazo, algumas boas estratégias são anotar todas as entradas e saídas da sua conta e cortar gastos supérfluos. Lembre-se de que, no futuro, até mesmo as pequenas despesas podem fazer diferença no seu orçamento. 

Saiba mais sobre o Programa Avançar

Com foco no desenvolvimento do empreendedor, trazemos uma série de conteúdos que auxiliam na gestão do seu negócio. Além de vídeos, podcasts e ebooks atualizados com as novidades do mercado, o Avançar oferece uma série de cursos com foco no empreendedor, entre eles: Curso de Educação Financeira, Curso de Crédito e Curso para MEI.  

Comece agora mesmo seu curso gratuitamente e ganhe um certificado digital. Cadastre-se!

Como abrir sua Conta MEI Santander

Simples, digital e precisa de apenas 3 documentos: 

• Documento de identidade (RG ou CNH) 

• Número de CPF 

• Certificado de MEI 

>> Abra a sua conta MEI << 

Post ID: | Current Page ID: 1294

Continue lendo

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência de navegação, memorizar suas preferências e personalizar o conteúdo publicitário de acordo com seus interesses. Veja mais detalhes em nossa Política de Privacidade.