Busca
Agronegócio Geral

4 cuidados essenciais na hora de pegar linha de crédito para exportação



A possibilidade de pegar uma linha de crédito para exportação permite que a empresa se prepare melhor para adentrar um novo mercado. Contudo, é preciso tomar cuidado para não prejudicar o
envio do produto brasileiro ao exterior, bem como a operação do negócio em terra internacional.

Para ajudar você nesse propósito, separamos 4 pontos a observar, além de outras informações que podem ser úteis para quem busca crédito internacional. Confira!

Principais linhas de crédito para exportação

Há um pacote grande de opções de crédito para exportação no mercado. Veja as principais:

  • Pré-Pagamento de Exportação (PPE): permite financiar, em moeda estrangeira, todo o ciclo de produção do seu negócio antes da exportação. A opção de pagamento é de médio e longo prazo, havendo liberação do recurso antes da prestação de serviço ou do embarque da mercadoria;

  • ACC/ACE: financiamento em moeda estrangeira, completo ou parcial. Fornece capital de giro para fases da exportação, como pré-embarque (ACC) ou pós-embarque de produção (ACE). Não há Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e Imposto de Renda (IR) por não ser tido como empréstimo;

  • Financiamento à Exportação Indireta: é possível financiar todo o montante negociado entre o exportador final e o produtor. O crédito é em moeda nacional. Há custo zero de IOF/Crédito;

  • Compra de Recebíveis de Exportação: permite receber antecipadamente a quantia negociada em sua exportação a prazo. O adiantamento ocorre por intermédio de um título representativo da dívida. Por exemplo, por carta de crédito;

  • Nota de Crédito à Exportação (NCE): permite financiar a quantia necessária de capital de giro vinculado à exportação. Seu prazo é flexível, não havendo vínculo com a data de exportação. O financiamento é dado em moeda nacional (Real), tendo isenção de IOF;

  • Carta de Crédito de Exportação: concede segurança para o recebimento pela exportação, excluindo o risco de o importador não pagar. Em suma, caso a carta seja confirmada pelo banco, há garantia de pagamento do que foi importado. Dá para descontar a carta de crédito para antecipar o pagamento;

  • Fixed/Float Rate Note (FRN): consiste na emissão de título no mercado externo para a empresa que necessita captar recursos;

  • Loan 4131: pode ser em moeda estrangeira para capital de giro. Modo de fazer hedge natural de seu balanço patrimonial (BP). Isto é, reduz o risco da variação da situação financeira/econômica/contábil do negócio. Afinal, vincula ativos em moeda estrangeira à obrigação de quitar o loan na mesma moeda.

  • Offshore Loan — crédito para a subsidiária ou filial do seu negócio no exterior, a qual precisa de capital de giro. É uma opção para descasamento no fluxo de caixa e para uma despesa inesperada. É recomendada para a organização offshore que tenha preferência por crédito com taxas de seu país base.

Cuidados fundamentais na hora de pegar uma linha de crédito

Existem cuidados que devem ser tomados ao contratar uma linha de crédito para exportação. Assim você evita todo erro que pode atrapalhar o crescimento da empresa internacionalmente. Confira a seguir quais são eles.

1. Faça um planejamento financeiro

Antes de solicitar capital de um terceiro, lembre-se de montar um bom planejamento financeiro. Estime os juros a pagar, estabeleça as parcelas com as quais seu caixa pode lidar e defina um cronograma de quitação das prestações. É preciso comparar custo e prazo para se prevenir de um problema econômico no futuro.

2. Verifique os documentos necessários

Para não ter seu pedido de crédito recusado, lembre-se de checar a lista de documentos solicitados para aprovação do processo. A operação envolve exportação, por isso podem ser exigidos papéis internacionais cuja emissão é demorada. Também fique atento à documentação de pré-embarque e de pós-embarque.

3. Considere a forma de pagamento

Verifique os meios de pagamento aceitos pela instituição financeira e escolha o que é mais adequado ao seu negócio. Evite selecionar qualquer forma sem antes estudar o seu impacto na gestão do negócio e a viabilidade de quitar o pagamento por meio dela.

4. Conte com um banco de confiança

Lembre-se de buscar um banco de confiança para conseguir crédito internacional. É importante que essa instituição tenha sólido reconhecimento e conte com uma atuação relevante no exterior, para fornecer apoio fora do país caso seja preciso.

Benefícios das linhas de crédito no caso de exportações

Um benefício é a possibilidade de isenção de IOF, como apontado acima em algumas modalidades de crédito — inclusive, de IR, como ocorre na opção ACC/ACE. Também existe caso em que o risco de não recebimento é absorvido pela instituição bancária, como na Carta de Crédito de Exportação, que adianta o montante. Além disso, o capital de giro obtido permite enfrentar com mais tranquilidade o desafio de entrar em um novo mercado.

Como visto, há muitas modalidades de financiamento e empréstimo para quem deseja enviar seu produto para fora do país. Contudo, lembre-se de tomar as devidas precauções ao buscar uma linha de crédito para exportação. Dessa forma, você evita comprometer seu caixa e aproveita as vantagens de ter um capital de giro a mais para movimentar sua operação internacional.

Você deseja apoio para enviar seu negócio aos principais mercados do mundo? Então visite o espaço Internacional Desk do Santander e veja como podemos ajudá-lo nesse processo!



Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência de navegação, memorizar suas preferências e personalizar o conteúdo publicitário de acordo com seus interesses. Veja mais detalhes em nossa Política de Privacidade.