Busca
Agronegócio Gestão de Negócios

Cibersegurança: 7 dicas para manter seu negócio protegido

A cibersegurança, ou seja, a proteção de sistemas de computadores contra danos ao hardware e softwares ou roubo de dados, deveria ser uma preocupação de pequenas empresas. É falsa a ideia de que hackers irão preferir atacar sistemas de grandes empresas, que “rendam mais”. Um levantamento da Keeper, empresa especializada no gerenciamento de senhas, mostra que a sofisticação de ataques a pequenas e médias empresas tem aumentado.  

Por isso, vale a pena analisar como anda a cibersegurança em seu pequeno negócio. Mesmo que você não disponha de recursos para manter uma equipe interna (ou contar com uma empresa terceirizada) especializada em segurança cibernética, há medidas possíveis de serem adotadas para ampliar a proteção de dados em seu negócio. Considere contratar pontualmente os serviços de um profissional qualificado que pode implementá-las para você. Fique por dentro das principais soluções possíveis:

1. Instale antivírus

Esse é o cuidado mais básico para a segurança de dados. Se algum computador da sua empresa ainda não tem um antivírus, resolva isso o mais rapidamente possível. É altamente recomendado evitar, porém, as ofertas de antivírus gratuitos. Antivírus pagos possuem recursos mais avançados e recebem atualizações com mais frequência, o que faz valer o investimento. Existem pacotes voltados para pequenas empresas com preços compatíveis. 

2. Garanta a atualização frequente dos dispositivos

Ignorar os avisos de atualização dos softwares instalados nos computadores do seu pequeno negócio pode colocar a segurança dos dados em risco. Isso porque hackers costumam aproveitar vulnerabilidades encontradas em programas para promover ataques. Alertadas por ataques (ou quando descobrem a vulnerabilidade antes), as desenvolvedoras solucionam o problema e enviam a correção em seus pacotes de atualização. Uma forma de garantir que nenhuma atualização será esquecida é configurar os equipamentos para que as atualizações de software aconteçam de forma automática.

3. Cuidado com o Wi-Fi

Muita atenção com a rede Wi-Fi, que costuma ser um alvo fácil para invasões. Use um roteador seguro, que fique em um local também seguro. Sempre defina o acesso por senha, mesmo que a ideia seja disponibilizar conexão para o cliente e, nesse caso, crie um acesso de “visitantes”, que diferencia os acessos da sua rede interna de quem só está de passagem. Crie a rotina de trocar a senha regularmente. 

4. Proteja o acesso à rede

O uso de firewall é uma medida importante de segurança. Os firewalls são programas de software ou, em alguns casos, dispositivos de hardware, que filtram e examinam as informações que chegam pela internet, funcionando com uma barreira. Dessa forma, atuam como uma primeira linha de defesa, buscando impedir que um programa mal-intencionado (ou até mesmo um hacker) tenha acesso à sua rede.

5. Implemente um controle de acesso

Definir quem pode acessar o quê em sua rede interna é primordial. Isso é possível com a implementação de uma estratégia de controle de acesso, ou seja, a definição de quais tipos de dados cada usuário pode acessar por meio de sua senha.

6. Estabeleça o uso de senhas fortes

Uma boa ação é implementar um gerenciamento de senhas que só permite a criação das chamadas “senhas fortes” pelos usuários. São consideradas “fortes” senhas com ao menos oito caracteres e que misturem letras maiúsculas e minúsculas, números e caracteres especiais (como #, %, $ e &, por exemplo).

7. Faça backup dos dados periodicamente

Apesar de todos os cuidados, nenhuma empresa está totalmente inume a ataques. Em alguns casos, os hackers promovem o “sequestro” de dados e informações, exigindo o pagamento de resgate para conceder o acesso. Há, também os “cavalos de troia”, vírus que corrompem os arquivos salvos no computador. Por isso, contar com um backup atualizado é fundamental para não perder tudo. O ideal é automatizar esse processo para que ele não fique dependendo de que alguém se lembre de executá-lo.
Implementar essas ações contribui enormemente para a cibersegurança do seu pequeno negócio. No entanto, elas de pouco valerão caso as pessoas que usam os equipamentos e acessam a rede não sejam informadas dos riscos de compartilhar suas senhas de acesso e não recebam treinamento para entender a importância da segurança dos dados, identificar mensagens mal-intencionadas que chegam por e-mail e evitar links suspeitos, por exemplo.  Investir no conhecimento e capacitação do seu time é essencial.

Que tal contar com uma ferramenta completa para Gestão de Negócios da sua pequena empresa? Conheça o CoPiloto Santander, uma plataforma simples e prática. Com ela, você controla seu estoque, registra pagamentos, acessa o fluxo de caixa, emite notas, organiza as informações dos seus clientes, além de ter disponível uma loja virtual para sua empresa.

Continue lendo

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência de navegação, memorizar suas preferências e personalizar o conteúdo publicitário de acordo com seus interesses. Veja mais detalhes em nossa Política de Privacidade.