Busca
Agronegócio Gestão Financeira

E-commerce: custos de frete “invisíveis”

Você não se preocupa com o valor do frete dos produtos de seu e-commerce por que cobra o custo diretamente do cliente? Cuidado: essa prática pode levar a prejuízos. Você deve ficar atento com isso porque, em algumas situações, pode ter de arcar com os valores pagos no transporte daquilo que está comercializando. Estas despesas “invisíveis” podem acabar reduzindo sua margem de lucro.

As ocorrências mais comuns são a desistência de compra pelo cliente ou a devolução por defeito. Quando isso acontece, o frete envolvido é de responsabilidade do vendedor, segundo determina o código de defesa do consumidor.

Além disso, custear o frete pode ser uma ferramenta de marketing. Indicar que este custo não será cobrado na primeira troca, por exemplo, pode ajudar seu potencial cliente a ter mais segurança e decidir pela compra. Promoções em datas especiais também podem ter mais resultados com a atrativa frase “frete grátis” incluída entre os benefícios. 

Por isso, saber calcular o impacto dos custos do frete dos produtos em seu e-commerce é muito importante para o sucesso da sua loja virtual. Confira dicas:

Calcule o custo médio dos envios

Observar o que já aconteceu em suas vendas anteriores ajuda a entender o comportamento usual da sua base de clientes e, assim, verificar o quanto o frete está impactando no valor final de seus produtos.

Como os custos de frete variam muito, de acordo com o que foi pedido e o endereço de destino, o ideal é você trabalhar com o custo médio. Para fazer este cálculo, escolha um determinado período de vendas (considere um intervalo que faça sentido com o ritmo de vendas do seu negócio; para alguns segmentos um cálculo semanal reflete bem a realidade, para outros será mensal e, alguns outros, até trimestral). Some todo o custo de frente envolvido nesse período e divida pelo número total de envios realizados. Verifique, ainda, se naquele período houve algum tipo de envio muito fora do padrão que tenha elevado por demais o valor do frete (como o envio para uma região distante, mas pouquíssimas vezes atendida) e desconsidere da amostra. O resultado é seu custo médio, ou seja, não vai ocorrer em 100% das vezes, porém vale como base para planejar os custos com as entregas. 

Ter noção do custo médio de frete é fundamental para que uma promoção de “frete grátis” não vire uma armadilha. Ao escolher os produtos que estarão com frete grátis ou a incluir esta vantagem em compras acima de um determinado valor, você precisa ter em mente que este valor será pago por você a cada entrega. Com isso, tem de avaliar como este total impacta a sua margem. 

Calcule sua taxa de devolução

Mais uma forma de evitar ter prejuízo com frete é identificar sua taxa de devolução. Para calcular, escolha um período de vendas para análise. Primeiro, você deve somar todos os itens devolvidos (seja por defeito ou por desistência do cliente) no período e multiplicar por 100. Depois, divida este resultado pela soma de todos os itens vendidos no período analisado. Por exemplo, se você vendeu 30 produtos em um mês e 2 foram devolvidos, sua taxa é de 6,6% (20x100/30).

Se você não tem um histórico de devolução ou se ainda está iniciando seu e-commerce, vale adotar o percentual do mercado. Dados divulgados pelo CEO da Dafiti, em entrevistas para a imprensa em 2020, apontavam uma taxa de devolução de 10% no e-commerce brasileiro, percentual bem abaixo de países como os EUA, onde esta taxa costuma chegar a 60%.

Conhecer a taxa de devolução serve para proteger sua margem de lucro. Vale lembrar que, a cada devolução, incide dois valores de frete – o do envio para o cliente e aquele pago para que o produto chegue até você novamente. 

Você pode considerar repassar este custo para o cliente, adicionando-o no valor do frete (no exemplo da taxa de devolução de 6,6% o correto seria acrescentar 13,2%; ou seja, um frete de R$ 12,00 passaria a custar R$ 13,58). Este adicional vai criando uma reserva para cobrir os custos com as devoluções. 

Caso acredite que este adicional irá causar rejeição, fazendo com que o cliente desista da compra, pelo valor final do frete, adicione a taxa ao calcular seus custos (afinal, você terá de absorvê-lo). E tenha certeza: é melhor incluir na planilha e correr o risco de descobrir que seus custos estão muito altos para sua margem, do que ignorar. Você pode quebrar seu empreendimento se não encarar a realidade.

Calcule sua taxa de trocas

Você deve fazer a mesma conta realizada para definir a taxa de devolução, para saber qual é a sua taxa de trocas, e assim, definir sua política de “troca grátis”. Lembrando, claro, de usar, nesse caso, o total de trocas solicitadas pelos seus clientes para fazer o cálculo. Novamente, você pode considerar adicionar este percentual no cálculo do frete ou absorver o valor em seus custos. 

Está pensando em ter uma loja virtual? O CoPiloto Santander disponibiliza uma plataforma de e-commerce para você e, ainda, ajuda no controle de seu estoque, registro de pagamentos, emissão de notas e muito mais. Conheça agora mesmo.

Continue lendo

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência de navegação, memorizar suas preferências e personalizar o conteúdo publicitário de acordo com seus interesses. Veja mais detalhes em nossa Política de Privacidade.