As dez habilidades profissionais mais requisitadas nos currículos, segundo o LinkedIn

Competências listadas pela rede social de perfis profissionais abrangem diversas profissões

As dez habilidades profissionais mais requisitadas nos currículos, segundo o LinkedIn
Foto: Pixabay

Em um mercado em constante transformação, o número de habilidades profissionais tende a crescer – e aquelas que são mais procuradas sofrem alterações de acordo com as novas tecnologias e demandas profissionais. Há pelo menos 50 mil habilidades profissionais no mundo, de acordo com dados do LinkedIn. Desse número, a rede social profissional analisou as que são consideradas mais valiosas em 2019 – e que são mais difíceis de encontrar.

A análise é dividida em dois grupos: o das soft skills, que são as habilidades sociais “que nunca saem de moda” e que não podem ser automatizadas por robôs; e o das hard skills, que são as competências técnicas e ‘refletem o impacto de nosso mundo cada vez mais digital”.

Confira a seguir as dez habilidades destacadas pelo LinkedIn em 2019.

Soft skills

  • Criatividade: “Embora os robôs sejam ótimos para otimizar ideias antigas, as organizações mais precisam de funcionários criativos que possam conceber as soluções de amanhã”;
  • Persuasão: “Ter um ótimo produto, uma grande plataforma ou um grande conceito é uma coisa, mas a chave é persuadir as pessoas a acreditar nisso”;
  • Colaboração: “À medida que os projetos se tornam cada vez mais complexos e globais na era da IA, a colaboração efetiva só se torna mais importante”;
  • Adaptabilidade: “Uma mente adaptável é uma ferramenta essencial para navegar no mundo em constante mudança de hoje, já que as soluções de ontem não resolverão os problemas de amanhã”;
  • Gerenciamento de tempo: “Uma habilidade atemporal, dominar o gerenciamento do tempo hoje servirá o resto de sua carreira”.

Hard skills

  • Computação na nuvem: “Enquanto o mundo corre em direção à nuvem, as empresas estão procurando desesperadamente por engenheiros que tenham as habilidades para acomodar essa demanda”;
  • Inteligência artificial: 'É oficial: chegamos à Idade da Inteligência Artificial'; 
  • Raciocínio analítico: “À medida que coletam mais dados do que nunca, as empresas estão sedentas por profissionais que podem tomar decisões inteligentes com base nisso”;
  • Manejo de pessoas: “O mundo mudou de um modelo de ‘comando e controle’ para líderes que podem treinar e empoderar, um conjunto de habilidades difícil que poucos profissionais possuem”;
  • User Experience Design: “O design UX é a chave para fazer um mundo digital funcionar para os seres humanos”.



Leia também: Até 2030, mulheres terão maior taxa de participação no mercado de trabalho