Você sabe o que é o Plano Safra?

Plano garante crédito para agricultor investir e custear produção

Publicado em 13/07/2020

Foto: Envato Elements

Para produzir em grande escala, um agricultor precisa de investimento. O montante necessário para investir, no entanto, nem sempre está disponível no início de cada safra (período de colheita). Pensando nisso, o governo federal criou em 2003 o Plano Safra, que garante o crédito necessário para o agricultor investir e custear a produção.

Lançado anualmente, com vigência de julho a junho do ano seguinte (período escolhido estrategicamente pelo calendário da safra agrícola brasileira), o Plano é a principal fonte de incentivo ao produtor rural brasileiro. Ele reúne um conjunto de políticas públicas que abrangem os serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural, crédito, seguro da produção, garantia de preços, comercialização e organização econômica das famílias residentes no campo.

2020/2021

A edição de 2020/2021 do Plano prevê um montante de R$ 236,3 bilhões para apoiar a produção agropecuária nacional, sendo R$ 179,38 bilhões para custeio, comercialização e industrialização e R$ 56,92 bilhões para investimentos, segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastacimento. 

Para o seguro rural de 2021, será disponibilizado pelo governo um total de R$ 1,3 bilhão. Estima-se que o valor deve possibilitar a contratação de 298 mil apólices, com um montante segurado de R$ 52 bilhões e cobertura de 21 milhões de hectares. O orçamento para as lavouras de café, por sua vez, conta com R$ 5,7 bilhões.

Pequenos e médios produtores

De acordo com o ministério, os pequenos produtores rurais terão R$ 33 bilhões para financiamento pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), com juros de 2,75% e 4% ao ano, para custeio e comercialização. Aos médios produtores rurais, por sua vez, serão destinados R$ 33,1 bilhões, por meio do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), com taxas de juros de 5% ao ano (custeio e comercialização).

Grandes produtores terão uma taxa anual de juros nos financiamentos de 6% para custeio e de 7% para investimento.

O setor da pesca comercial terá maior acesso ao crédito rural nesta edição, para financiar a compra de equipamentos e infraestrutura para processamento, armazenamento e transporte de pescado.

O prazo para contratação dos financiamentos da atual safra vai de 1º de julho de 2020 a 30 de junho de 2021. Mais informações sobre o Plano Safra 2020/2021 podem ser consultadas no Manual de Crédito Rural, no Banco Central.

Quer acessar outros conteúdos para ajudar a desenvolver os seus negócios? O Programa Avançar oferece webséries e podcasts exclusivos para fomentar o empreendedorismo no país. Cadastre-se gratuitamente e confira!