Busca
Agronegócio Empreendedorismo

Empreendedorismo feminino volta a crescer após retração

Após o forte impacto registrado a partir dos primeiros meses de pandemia, o empreendedorismo feminino no Brasil começa a apresentar sinais de recuperação. O número de negócios liderados por mulheres chegou a 10,1 milhões no quarto trimestre de 2021, o mesmo resultado alcançado no último trimestre de 2019. Vale destacar que o total de donas de negócios chegou a recuar para 8,6 milhões no segundo trimestre de 2020. Os dados são de um estudo do Sebrae feito com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua do IBGE (PNADC). 

Apesar da evolução, a participação feminina no universo de proprietários de negócios no Brasil está em 34%, ainda abaixo da melhor marca histórica (registrada no quarto trimestre de 2019), quando as mulheres representavam 34,8% do total. Houve redução também na participação entre os donos de negócios empregadores. No final de 2019, o número de empreendedoras que contratavam empregados era de 1,3 milhão (13,6% do total das donas de negócios); no final de 2021, esse número recuou para 1,1 milhão (11,4% do total). Os dados mostram que as empreendedoras sofreram um impacto maior do que os homens diante da crise sanitária mundial. Para os especialistas do Sebrae, uma das explicações está no fato de que, culturalmente, no Brasil, o cuidado com a família recaí sobre as mulheres. Assim, muitas empresárias tiveram de encerrar as atividades ou reduzir a operação do negócio para cuidar dos filhos e de idosos nos períodos de isolamento social. 

Nesse movimento de recuperação, os segmentos de atuação que registraram aumento na participação feminina foram o de Informação/Comunicação (3 pontos percentuais) e Educação/Saúde (4 pontos percentuais), em comparação entre o quarto trimestre de 2019 e o mesmo período de 2021. O segmento de serviços continua sendo o que concentra a maior presença de empreendedoras, com 50%. Chama atenção, também, o aumento na proporção de empreendedoras chefes de domicílio: em 2019, elas eram 47% e no último trimestre de 2021 passaram a representar 49% do total.

Um indicador positivo é que as mulheres donas de negócios seguem apresentando um nível educacional maior do que os homens empreendedores. No quarto trimestre de 2021, 68% das empreendedoras tinham pelo menos o ensino médio. Entre os homens, essa proporção era de 54%.

A pesquisa mostra que as barreiras para ter o próprio negócio continuam sendo maiores para mulheres. No entanto, se você é uma empreendedora ou pretende ser, pode encontrar ajuda em iniciativas e redes de apoio. Uma das mais atuantes é a Rede Mulher Empreendedora, que oferece capacitação, programas de aceleração e eventos para promover o crescimento de empreendimentos comandados por mulheres.  

Para apoiar mulheres que empreendem ou que querem empreender, o Podcast Avançar dedica uma série exclusiva, com três episódios, ao empreendedorismo feminino. Cadastre-se gratuitamente e ouça agora mesmo.

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência de navegação, memorizar suas preferências e personalizar o conteúdo publicitário de acordo com seus interesses. Veja mais detalhes em nossa Política de Privacidade.